Em encontro com Ban Ki-Moon, Cúpula dos Povos diz que Rio+20 traz frustração

Durante encontro com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nesta sexta-feira, os representantes da Cúpula dos Povos, evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, manifestaram as suas críticas ao documento final da Rio+20. Os ativistas disseram que se sentem frustados com o texto aprovado pelos países.

Anúncios

Povos indígenas: elementos chaves na Conferência Rio+20

Os povos indígenas e suas organizações iniciaram hoje suas actividades em Rio+20, onde o Grupo Principal de Povos Indígenas leu um texto no que reivindicam o Bom Viver e os Direitos da Mãe Terra, propõem a inclusão da cultura como quarto pilar do desenvolvimento sustentável e demandam o respeito aos direitos humanos e colectivos, em particular a livre determinação. Os territórios e o consentimento prévio, livre e informado. Assim mesmo, propõem o reconhecimento de todas as diversas economias, que se regulem as actividades extractivas e que as empresas dedicadas a estas rendam contas pelos danos ambientais, sociais e económicos que têm causado. Aqui o texto:

CHAMADO GLOBAL AOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL E DO MUNDO

CÚPULA DOS POVOS: Acampamento Terra Livre e a RIO +20.

O ano de 2012 será decisivo para as questões da saúde do nosso planeta. De 20 a 22 de junho, o mundo estará voltado para as discussões na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, evento global que reunirá milhares de participantes de todo o mundo e dezenas de Chefes de Estados de todos os Continentes com o objetivo comum de encontrar saídas para a crise planetária em que vivemos.

CHAMADO AOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL E DO MUNDO

O ano de 2012 será decisivo para o futuro da humanidade e do planeta. De 20 a 22 de junho, o mundo estará voltado para as discussões na “Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável”, a “Rio+20”, que reunirá dezenas de Chefes de Estados de todos os Continentes para discutir saídas para a crise do sistema capitalista, sob o discurso da economia verde.
O evento global reunirá ainda milhares de participantes de todo o mundo. O movimento indígena marcará presença por meio da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB e as Organizações que a compõem: APOINME, ARPINSUL, ARPINSUDESTE, ARPINPAN, ATY GUASÚ e COIAB, na realização do Acampamento Terra Livre – ATL 2012, em aliança com o movimento indígena da América Latina através da Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica – COICA, Coordenação Andina de Organizações Indígenas – CAOI e Conselho Indígena daAmérica Central – CICA, assim como de outras partes do mundo.